Foto do restaurante hakosem no tel aviv

Falafel HaKosem em Tel Aviv. O lugar que eu mais gosto.

Israel é um lugar misterioso para o brasileiro comum. Além do caminho de Jesus, Jerusalem e problemas políticos do país, muitos Brasileiros não sabem muito sobre Israel e isso é normal. Eu também não sabia praticamente nada sobre o Brasil antes de vir morar aqui. Minhas referências eram o filme Cidade de Deus, Carnaval no Rio de Janeiro e samba.

Esse post foi criado para ajudar resolver esse problema, mas vamos começar primeiramente com Tel Aviv.

Pra mim, a melhor coisa em Israel é a comida, especialmente a comida de rua e, ainda mais, a sua comida de rua de origem árabe.

 

 

Israel é um país de imigrantes. Tem uma fusão de comidas de origens diversas, mas o que mais moldou e definiu a cultura alimentar israelense é a população local de judeus e muçulmanos que vivem em Israel há centenas de anos, e também os imigrantes judeus de países árabes. Sim, temos em Israel outros muitos tipos de comidas, mas nas ruas o que você vai encontrar normalmente é comida árabe, bem como alguns pratos israelense que têm esse espírito árabe.

Legumes e verduras são a base da culinária árabe. Bastantes pratos árabes são veganos sem ser definidos como tal. Isso, aliado à proximidade dos israelenses com a cultura Ocidental, fez Tel Aviv ser eleita, por exemplo, como uma das dez melhores cidades no mundo para Foodies Vegetarianos e Veganos.

 

Tel Aviv tem de tudo e para todos.

Mas Tel Aviv não é só para vegetarianos e veganos. Tel Aviv é pra todos. Nas ruas de Tel Aviv você vai encontrar Shawarma, Falafel, Sabich, Restaurantes de Homus (heb), Churrasqueiras, espetos e quase todas as culinárias do mundo lá estão representadas. A cena gastronômica está tão bem desenvolvida que até alguns restaurantes israelenses começaram a abrir unidades na Europa e EUA, e até serem premiados em seus novos destinos:

  1. The Palomar, London (OFM Awards 2015 & Veuve Clicquot GQ Food and Drink Awards 2015)
  2. Ottolenghi, London (que lançou o seu famoso livro Jerusalém)
  3. The Duchess, Amsterdam (Um michelin star)
  4. Miznon, Paris, Vienna, and Melbourne
  5. Zahav, EUA (melhor chef e restaurante, James Beard Awards)

O que que faz Tel Aviv ser tão especial e tão amada é sua energia, comida, ruas e pessoas. A sensação é de que tudo é informal e livre.

 

Israelenses chamam Tel Aviv de “Cidade que não pára”. É o centro cultural de Israel, onde há shows, baladas, teatros, praias, bares e maior cena gastronômica em Israel. Mas não pára por aqui. As ruas e a arquitetura são únicas. Um exemplo do que faz Tel Aviv ser tão charmosa e especial é a Rua Rothschild.

Aos finais de semana,  essa rua se torna a mais bacana de Tel Aviv. Pensa numa canteiro central, cercado com asfalto e calçadas em cada lado. No meio, no canteiro, há quiosques, mini lagos com peixes e plantas, playground para crianças, galera jovem que socializa, se diverte e se comunica e, no entorno, você vê prédios super modernos e bem antigos, da época da sua criação, em 1909.

 

É muito legal fazer um passeio na rua toda, que é curta. A Rothschild conecta 2 áreas principais – “Down Town” da área do Allenby e a área mais viva, das ruas King Jorge e Dizengoff.

Roteiro Gastronômico no Google Maps

Preparei pra vocês um mapa com lista de atividades em Tel Aviv. Para explorar e interagir. Muito.

Mais ruas e áreas legais:

  1. Bograshov Street – várias lojas de moda, restaurante e cafeterias chiques.
  2. Rua King Jorge – rua pequena que conecta a Praça Rabin e Allenby. Lá fica também o melhor Falafel de Tel Aviv – HaKosem.
  3. Calçadão Nahalat Binyamin – o calçadão funciona duas vezes por semana, às terças e sextas, das 10h até 17h-18h.  Muito parecido com o calçadão de Embu das Artes, em SP.
  4. Ibn Gvirol Street – lembra a avenida Paulista, em SP. No lado mais norte há muitas lojas de moda e, de novo, muitos restaurantes e cafés (cafeterias como na Europa ou Vila Madalena-SP). Bem legal.
  5. Dizengoff Street – rua cheia de cafeterias e lojas. Passeio bem legal. Cheio de árvores e coisas legais para ver.
  6. Sharona Market – Um mercado urbano bem (muito!) atualizado e moderno, igual aos grandes mercados na Europa e EUA, super chique com restaurantes e kiosks de alto nível.
  7. As Praias
  8. Yafo, Cidade Antiga – a parte mais antiga de Tel Aviv. Lado árabe onde originalmente haviam árabes, mas agora é uma cidade misturada, com alguns restaurantes legais e lugares bacanas para ver como, por exemplo, a orla e o flea market.

Lugares para comer

  1. Tel Aviv
    1. Falafel Hakosem – Falafel, Shawarma, Shakshuka, Homus, Sabich
    2. Sharona Market – já citado acima, é um dos lugares que eu mais amo em Tel Aviv. É um mercado aberto (com cobertura) de luxo, cheio de restaurantes dos chefes mais famosos de Israel, lojas de gastronomia e muito mais. Experiência única igual aos mercados na Europa e EUA.
    3. Abu Hassan – O melhor homus de Israel. Tem várias unidades, inclusive no Sharona Market, mas o original fica em Yaffo.
    4. Miznon – É do chef super famoso em Israel. Super gostoso. Fica em frente a um parquinho bem lindo, que eu amo muito, no Parque Gan Meir e na avenida Ibn Gabirol. Bônus: a sua receita famosa do Couve Flor inteira no forno.
    5. Dabush – A melhor rede de shawarma de Israel. Em Israel, shawarma não é considerado um lixo, como no Brasil (churrasco grego). É feito com carne de primeira. Muito bom. Não esqueçam de colocar molho laranja, chamado amba, e muito tahine!!!!!!!
    6. Sabich Tsernikovski – O lanche mais gostoso do mundo! (vídeo). Recheado com batata cozida, berinjela frita, vinagrete israelense (tomate, pepino japonês, cebola, azeite e limão), homus, tahine e molho sagrado que chama amba. Várias lugares vendem essa maravilha. Tentem achar.
    7. Sabich Hertzel – o vídeo do Sabich em baixo? É dele! Super barato e super gostoso!!!
    8. Tony Vespa – Pizza a granel. Você escolha os tamanhos das pedaços que você quer comer e paga por peso. Muito bom!
    9. Roladin – Padaria bem bem bem famosa. Em Hanukkah (dezembro) vende os melhores sufganiyot (sonhos) de Israel.
  2. Jerusalém
    1. Machne-Yehuda – restaurante renomeado em Jerusalém.
    2. Abu-Gosh – um bairro árabe famoso pelos seus restaurantes, que fica na entrada de Jerusalém.
    3. Hatzot – se vocês gostam das partes internas da galinha, aqui é o lugar que tem a fama  de fazer o melhor lanche recheado com estas preciosidades, chamado Meurav Yerushalmi.
    4. Sima – os melhores espetinhos de Israel. Os espetinhos israelenses são maiores que os brasileiros e vem, como sempre, com entrada de saladas veganas super deliciosas.

Últimas Dicas e Vídeos

Lembram que falei que Sabich é o melhor lanche do mundo? Assistam esse vídeo que gravei para entender exatamente porque! Nhum!

Gravado no Sabich Hertzel, Tel Aviv

Como é a experiência de comer em uma churrascaria em Israel (é um restaurante em Jerusalém, mas todas as churrascarias em Israel são assim)

Gravado no Restaurant Caravan, Abu Gosh, Jerusalem

Roteiro Gastronômico em Jerusalém

Tel Aviv (Israel) | O Mundo Segundo os Brasileiros

O melhor vídeo sobre Tel Aviv que eu conheço.

Não esqueçam de comprar Timtam. Só tem lá!

Não esqueçem de comer muitas Burekas

Resumindo

É isso aí, galera…. espero que eu tenha despertado o interesse de vocês em visitar esse lugar maravilhoso. Amo muito Tel aviv (morei lá 5 anos, antes de me mudar para o Brasil). Meu sonho é criar mais conhecimento sobre Tel Aviv e Israel, sobre o fato de que é uma cidade super segura para viajar, sem violência urbana a qualquer hora do dia/noite (qualquer hora mesmo!), que tem gastronomia maravilhosa e que vale a pena visitar pelo menos uma vez na vida (falo “pelo menos uma vez”, porque depois que você visita uma vez, vai ver que é difícil esperar para voltar mais vezes para comer essas delícias que você só encontra lá).

Grande abraço, pessoal! Me contem nos comentários o que acharam, dúvidas ou experiências de sua visita à Tel Aviv. E,  melhor que isso, compartilhem com todos as fotos de sua viagem, para todos verem que não estou mentindo. Tel Aviv é um lugar super legal.

© 2018, Shlomi Asaf. Todos os direitos reservados.